RELATO DE AFECÇÕES OFTÁLMICAS: DISTROFIA CORNEANA, FIBROSSARCOMA PERI-OCULAR E NEOPLASIA DE GLÂNDULA LACRIMAL EM PSITACIFORMES (Amazona aestiva e Melopsittacus undulatus).

Maristela Furlan Rocha 1, Karin Werther2

1 Médica Veterinária da CLÍNICA DE AVES - Franca-SP, furlanerocha@netsite.com.br;
2 Profa. Dra. do Departamento de Patologia Veterinária, FCAV-UNESP, Jaboticabal-SP, werther@fcav.unesp.br

Em aves, os distúrbios oftálmicos, oculares e peri-oculares, são causados por mal-formações, inflamações, infecções primárias e sistêmicas, degenerações, distúrbios nutricionais, neoplasias e lesões traumáticas. Para o exame clínico oftálmico são utilizados os mesmos instrumentos e técnicas diagnósticas utilizadas nos mamíferos, sendo frustrado o exame do segmento posterior pela dificuldade de produzir midríase nas aves. Em psitacídeos a afecção ocular mais comum de afecção ocular é a doença periorbital secundária à infecção respiratória, particularmente rinite e sinusite, pela proximidade do sinus com o globo ocular. O presente trabalho relata a ocorrência de três afecções oftálmicas em psitacídeos, atendidos na Clínica de Aves / Franca-SP.

 Caso 1: DISTROFIA CORNEANA em Amazona aestiva (Papagaio verdadeiro) – é um distúrbio pouco freqüente, que implica em alteração corneana, com etiologia até então desconhecida (Prof.Dr.R.Korbel-Alemanha), normalmente bilateral que não é acompanhada por inflamação. Acomete geralmente o centro da córnea, a qual fica opaca, e que não se cora com fluoresceína, apresentando estruturas cristalinas sem vascularização. No exame histopatológico são vistos depósitos de cristais de colesterol ou outros lipídios, podendo acometer o epitélio, estroma e endotélio.

Caso 2. FIBROSSARCOMA em Melopsitaccus undulatus (Periquito Australiano)- Fibrossarcoma é um tumor relativamente comum em aves de estimação, ocorrendo freqüentemente nos membros e cabeça, algumas vezes envolvendo o bico. Metástases são incomuns, mas podem ocorrer em fígado, pulmão e base cardíaca. Nesse caso observou-se protusão do globo ocular por massa firme, retrobulbar, sem melhora com tratamento convencional. A ave veio a óbito e revelou na necropsia presença de massa na região retrobulbar ao redor do nervo óptico. Na histopatologia foram vistas células fusiformes com citoplasma eosinofílico escasso e núcleo hipercromático, além de numerosas figuras mitóticas, confirmando fibrossarcoma.

Caso 3. NEOPLASIA DE GLÂNDULA LACRIMAL em Melopsitaccus undulatus (Periquito Australiano). Ave apresentou crescimento palpebral unilateral não responsivo a antibióticoterapia. Foi feito biópsia e histopatologia onde constatou-se proliferação de células produtoras de muco, formando glândulas, que continham muco e heterófilos. As glândulas estavam entremeadas com tecido conjuntivo fibroso e infiltrado inflamatório misto. A neoplasia provavelmente se originou do tecido glandular lacrimal.

 

Anais do X Congresso e XV Encontro da Associação Brasileira de Veterinários de Animais Selvagens, p 34 – 2006.

Artigos Clínicos

Estamos disponibilizando no site alguns artigos sobre patolgias aviárias desenvolvidas pela Dra. Maristela.

Para acessá-los, coloque o ponteiro do mouse sobre as imagens abaixo e click no elo do link de acesso, à esquerda da lupa de ampliação da imagem.

ATOXOPLASMOSE AVIÁRIA

Canários do Reino e Bicudos

Afecções Oftámicas

Relatos de afecções oftámicas em psitaciformes

Ovulação Ectópica

Ovulação Ectópica em Columbiforme

Ovulação Ectópica

Ovulação Ectópica em Columbiforme (ILUSTRADO)